Património Cultural Imaterial

Expressões orais.

Contos, cantos, lendas, adivinhas, provérbios e outras expressões orais, incluindo a língua como vector do património cultural imaterial.
Conteúdos organizados por concelho/informante.

 

Saber fazer

Conhecimentos e modos de fazer enraizados no quotidiano das comunidades.

Celebrações


Rituais e festas que marcam a vivência colectiva do trabalho, da religiosidade, do entretenimento e outras práticas da vida social

Práticas performativas

A música, dança e teatro como práticas performativas comunitárias que se manifestam periódica ou esporádicamente.

 

Natureza e universo

Práticas e representações desenvolvidas por comunidades no decurso da sua interacção com meio ambiente.

 

Como definir o Património Cultural Imaterial

Património cultural imaterial é o que as comunidades, os grupos ou os indivíduos definem como tal. Sem esquecer, no entanto, que essa identificação deve ser feita de acordo com o espírito da Convenção da UNESCO de 2016. Isto é, considerando os critérios que esse documento enuncia como característicos dos bens culturais suscetiveis de patrimonialização:

são transmitidas através das gerações; existem nos dias de hoje, são “património vivo”; existem no seu contexto original; não são "normalizadas" ou impostas a outras culturas; não são manipuladas para fins comerciais, políticos ou religiosos; respeitam os direitos humanos; incutem nas comunidades e individuos um sentimento de identidade e de continuidade; contribuem para a promoção do respeito pela diversidade cultural e pela criatividade humana.