Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Comer cobra

nome:
Maria Augusta Martins Falcão
ano nascimento:
1935
freguesia: Caçarelhos
concelho:
Vimioso
distrito:
Bragança
data de recolha: Outubro 2010
 
 
 

Dados de inventário
  • Comer cobra
  • Vimioso

    "Comer cobra" - Sobre a que sabe a cobra e os fins medicinais da água da sua cozedura.

    Maria Falcão, ano de nascimento 1935, Caçarelhos.

    Registo 2010.

Transcrição
  • Comer cobra

     

    «Prontos, sabe muito bem. É como quando também a gente matava uma cobra, e depois cozia  a cobra, e aquela iágua(1) da cobra parece que é galinha! Tem o gosto,  tal e qual(2), como se fosse a galinha.

     

    E eu já o tomei também bastantes vezes porque também sou muito atacada por reumatismo e, quando eu era garota, numa altura, eu estava tolhida(3) e a minha mãe  untou-
    -me(4) bem untada com o unto(5) da cobra e deu-me a comer cobra. (…) Cozeu a cobra, fez umas sopas da água da cobra, e eu comi aquilo tudo! E eles foram lavrar(6) - e eu não me mexia, pra(7) me mudar para um lado ou para o outro tinham que me agarrar ao colo (…), depois deixou-me ali à porta da loja(8) dos porcos, embrulhada nuns capotes, numas mantas: eu aí suei) e quando  eles vieram da arada(9) eu já andava por aí! (…)

     

    Uma cobra grande! (…) Quanto maior for, mais bem se come, mais bem se lhe tira a carne do meio dos ossos. Mas o comer cobra é como comer galinha.

     

    Maria Falcão, Caçarelhos (Vimioso),Outubro de 2010

     

    Glossário:

    (1) Iágua – água.

    (2) Tal e qual – exactamente o mesmo; exactamente igual.

    (3) Tolhida – entrevada; paralítica.

    (4) Untou – espalhou no corpo da pessoa uma grande quantidade de determinada substância e friccionou a pele.

    (5) Unto – preparado de consistência pastosa que tem por base uma gordura e que se aplica na pele, no caso, será gordura da cobra.

    (6) Lavrar – trabalhar a terra com arado e charrua de modo a poder cultivá-la; cultivar; amanhar.

    (7) Pra – “para” (redução da preposição “para”, sua forma sincopada,usadano registo popular, informal - reprodução da pronúncia).

    (8) Loja – nome dado à casa, ao nível do chão ou quase, onde vivem os animais (pode ser uma pocilga, um estábulo, um curral, uma coelheira – o lugar onde estão os animais).

    (9) Arada – terra lavrada ou que se anda a lavrar; campo lavrado; lavoura.

     

    Referências bibliográficas e recursos online utilizados no glossário:

    Barreiros, Fernando Braga. (1937). Apêndice ao «Vocabulário Barrosão». Revista Lusitana Volume XXXV, Lisboa: Livraria Clássica Editora, p. 254.

    Barros, Vítor Fernandes, (2006). Dicionário do Falar de Trás-os-Montes e Alto Douro. Lisboa: Edição Âncora Editora e Edições Colibri, p. 42, 228.

    Vasconcelos, José Leite de. (1985). XI - Linguagem popular de Carragosa - Dialecto Transmontano, I parte — (Artigos redigidos pelo autor). OPÚSCULOS. Volume VI – Dialectologia (Parte II). Organizado por Maria Adelaide Valle Cintra Lisboa, Imprensa Nacional, p.18.

    http://aulete.uol.com.br; http://clubehistoriaesvalp.blogspot.com/2010/04/dicionario-de-palavras-e-termos-que-se.html; http://michaelis.uol.com.br; http://www.ciberduvidas.com/pergunta.php?id=21960; http://www.colegioweb.com.br/portugues/adjetivos-e-substantivos1.html;http://www.infopedia.pt; http://www.mirandadodouro.com;http://www.priberam.pt

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
    • Caso/ mesinhas caseiras/medicina popular
Identificação
  • Comer a cobra
  • Maria Falcão
  • 1935
  • Trabalhadora agrícola reformada.
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Caçarelhos, Vimioso, casa de Francisco Augusto
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Vimioso
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Residentes do concelho de Vimioso que são convidados para iniciativas do Município e Biblioteca de Vimioso. Principais actividades desenvolvidas e que enquadram estas manifestações culturais:

    Sons e Ruralidades em Vimioso

    ANAMNESIS - Encontro de Cinema, som e tradição oral.

    Feira de artes, ofício e sabores

    (ver links em documentação)

Equipa responsável
  • José Barbieri e Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
  • José Barbieri - realização do documentário (ver link em documentação)

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA