Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Amiga diz-me a verdade

nome:

Luís Ricardo

ano nascimento:

05/03/1923

freguesia: Grândola
concelho:
Grândola
distrito:
Setúbal
data de recolha: Fevereiro 2007
 

Dados de inventário
  • Amiga, diz-me a verdade
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    “Amiga, diz-me a verdade”- O poeta pede à amada que o esclareça sobre os sentimentos que por ele nutre e sobre o tipo de relação emocional que deseja estabelecer com ele.

    Luís Ricardo; Ano de nascimento: 1923; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • Amiga, diz-me a verdade

     

    «Amiga, diz-me a verdade.

    Não enganes meu coração.

    Diz-me decerto se és minha

    e se eu sou teu ou não.

     

    A certeza de ser teu

    eu gostava já de saber.

    E se tu me quisesses dizer,

    muito contente ficava eu.

    Foste a mulher que me apareceu,

    mas foi à minha vontade.

    Eu peço com caridade

    a todos os todos os santos que houver:

    queres ou não ser minha mulher?

    Amiga, diz-me a verdade.

     

    Sejas pura e radical.

    Eu peço-te neste momento.

    Se na’(1) me quiseres pra esse intento

    eu nunca mais te falo em tal.

    Eu quero saber afinal

    qual a minha a situação.

    Eu digo com honra e brasão,

    com carinhos de amor,

    faz-me este favor:

    na’ enganes meu coração.

     

    Eu estou muito interessado,

    como tu bem sabes e vês.

    E atão(2) sejas mulher cortês

    na’ me tragas enganado.

    Se te puseres ao teu lado

    eu nunca te deixo sozinha.

    É o maior gosto que eu tinha

    digo isto com prazer.

    Quando me tornares a escrever

    diz-me decerto se é minha.

     

    Eu conto sempre contigo.

    E espero por ti todos os dias.

    E por aquilo que tu me dizias

    nunca deixo de ser teu amigo.

    Como dizia, ainda te digo:

    és a minha perdição.

    Mas temos de dar um apertão

    e um abraço como manda a lei,

    porque assim só, não sei

    se eu sou teu ou não.»

     

    Luís Ricardo, Grândola, Fevereiro de 2007

     

    Glossário:

    (1) Na’ abreviatura oral, de uso informal e coloquial, de “não”.

    (2) Atão – regionalismo de Portugal, de uso informal e coloquial que significa “então”.

     

     

     

     

Caracterização
  • Décimas.

    Classificação: Proposta por Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • Amiga, diz-me a verdade
  • Luís Ricardo
  • 1923
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas (16ª edição em 2010) realizada em Junho.

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA