Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • O 25 de Abril
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    “O 25 de Abril”- Poema de celebração do dia de 25 de Abril, dia do golpe militar que acabou com a ditadura em Portugal em 1974.

    Paulatino Augusto; Ano de nascimento: 1929; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • O 25 de Abril]

     

    «Já não podemos pensar no nosso regime(1) anterior.

    O 25 de Abril(2) foi o dia de mais valor.

    Quarenta e oito(3) de amargura.

    Esses anos foram passando.

    E o rico sempre gozando.

    E o pobre a viver na penura(4).

     

    Até que chegou uma certa altura,

    que tudo se teve como ficar.

    Começou o rico a pagar.

    Porque queria comer sozinho.

    Para diante é que é o caminho.

    Pa’(5) trás não se pode voltar.

     

    Há por aí tanta canalha(6),

    sem a gente os conhecer.

    E tanta gente a comer

    À custa de quem trabalha.

    Metem os pobres à palha.

    A quem larga tanto suor!

     

    Eu digo, seja a quem for,

    que venham comigo falar.

    Já não podemos pensar

    no nosso regime anterior.

    Daqui só pra(7) diante.

    E não se pode voltar para trás.

     

    Porque já abalou o Tomás(8).

    E quem matou tanta gente.

    Passou pelo Oriente

    e foi ao caminho do Brasil.

    Falava então o cetil(9) a favor da burguesia,

    mas ao pobre deu alegria e o 25 de Abril.

     

    Oh, que linda madrugada

    Que veio ao nosso país.

    E para o pobre ser feliz

    quem manda é a Força Armada(10).

    Uma coisa sem ser esperada!

    Foi pò(11) pobre um grande amor.

    Acabou-se com o rancor.

    E começou-se com novas leis.

    Que a véspera de vinte e seis

    Foi o dia de mais valor.»

     

    Paulatino Augusto, Grândola, Fevereiro de 2007

    Glossário:

    (1) Regime – referência ao regime político denominado por Estado Novo, ditadura que se viveu em Portugal entre 1933 e 1974.

    (2) 25 de Abril – referência ao 25 de Abril de 1974, dia conhecido como Dia da Liberdade, data em que teve inicio a Revolução dos Cravos que derrubou o regime político do Estado Novo.

    (3) Quarenta e oito – referência os 48 anos da II República Portuguesa – períodos da Ditadura Nacional (1926-1933) e do Estado Novo (1933-1974).

    (4) Penura = penúria, pobreza extrema.

    (5) Pa’ – abreviatura oral de “para”.

    (6) Canalha – indivíduos desprezíveis e indignos, patifes.

    (7) Prà – abreviatura oral de “para a”.

    (8) Tomás – referência a Américo de Deus Rodrigues Tomás, Presidente da República de Portugal de 1958 a 1974, altura em que foi demitido e partiu para o exílio no Brasil.

    (9) Cetil – Por hipótese, dinheiro (ceitil: antiga moeda portuguesa que valia um sexto de real).

    (10) Força Armada = referência às Forças Armadas Portuguesas, responsáveis pelo golpe militar que derrubou o Estado Novo.

    (11) – abreviatura oral de “para o”.

    Para a execução deste glossário consultaram-se as seguintes fontes: http://www.apotec.pt/fotos/editor2/ESTADO NOVO.pdf; http://portugal-info.com/historia/segunda-republica.htm; http://portugal-info.com/historia/terceira-republica.htm; http://www.priberam.pt; http://www.infopedia.pt; http://aulete.uol.com.br; http://www.presidencia.pt/?idc=13&idi=26

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
  • Décimas.

    Classificação: Proposta por Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • O 25 de Abril
  • Paulatino Augusto
  • 1929
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas (16ª edição em 2010) realizada em Junho.

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

 

Visite a nova exposição virtual!

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA