Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Os dias de Páscoa

nome:
Ilda Martins Branco
ano nascimento:
1939
freguesia: Salvada
concelho:
Beja                                    
distrito:
Beja
data de recolha: Outubro 2010
 
 

Dados de inventário
  • Os dias de Páscoa
  • Beja

    “Os dias de Páscoa”- Interdições de trabalho e comemorações populares ligadas à Semana Santa.

    Ilda Martins Branco; Salvada; Ano de nascimento: 1939; Concelho de Beja.

    Registo 2010.

Transcrição
  • Os dias de Páscoa

     

    [Informante 1 (MB):] ?«A gente por a Páscoa(1) cantávamos…

    [Informante 2 (IM):] ? Assim, por a Páscoa. E pelo Natal. “Vem o Menino”…

    [Informante 1 (MB):] – Pelo Natal…

    [Informante 2 (IM):] – Ai,  minha mãe(?)…

    [Informante 1 (MB):] – Cantávamos as Janeiras(2), cantávamos os Reis(2)

    [Informante 2 (IM):] – Pois. Sim.

    [Informante 1 (MB):] – Cantávamos “o Menino”…

    [Informante 2 (IM):] – Sim.

    [Informante 1 (MB):] –  E cantávamos, por a Páscoa…

    [Informante 2 (IM):] – Sim.

    [Informante 1 (MB):] – Umas orações que se cantava nesse tempo. Que a gente apanhávamos umas grandes molhadelas, coitadas da gente! Umas davam dois ovos, outras davam meia dúzia de… Pronto, meia dúzia de ovos, outras davam uma coisinha de farinha, outras davam um bocadinho de açúcar e fazíamos um bolo. Pra(3) todas!

     

    Íamos cedo. Porque na *Semana Santa*(4), chamava-lhe a gente a Semana Santa, à segunda-feira ‘tava(5) bem, à terça-feira já na’(6) se fazia nada, quarta-feira na’ se torcia – na’ se lavava que na’ se podia torcer, terça-feira ‘tavam os coisos batendo o linho pa’ fazer as cordas; quarta-feira torciam (…) de modo que (…) a matarem Jesus! – quinta-feira, da manhã, (…) pronto, íamos prà(7) monda(8), até meio-dia. Da parte da tarde já os judeus cavavam pra enterrar Jesus. Já não ‘távamos aí, já na’ íamos cavar! À monda (porque era na monda). E atão(9), na Páscoa, já os trigos são grandes(?), já há alguns espigados, pois, porque “na’ há Páscoa sem trigo espigado, nem Assunção(10) sem trigo ceifado!” – mas isto é umas coisas velhas! Da gente! Que a gente cá sabia. É.

     

    E atão fazíamos. Por exemplo, achámos pouco um bolo: umas faziam o bolo, outras faziam outra coisa, enfim… A gente, vá, levávamos uma garrafa de bebida, ou de anis(11),  ou de coiso, cada uma seu copinho… E era uma festa que a gente fazia. Mas a gente cantava e atão cantávamos uma coisa assim…

     

    Mariana Bicho e Ilda Martins, Beja, Outubro de 2010

     

     

    Glossário:

    (1) Páscoa – festa anual cristã para comemorar a ressurreição de Jesus Cristo.

    (2) Janeiras e Reis (cantar)cantigas populares, entoadas para desejar boas-festas (Ano Novo e Dia de Reis – 1 e 6 de Janeiro).  Hoje em dia estes cantos fazem parte das celebrações do Ano Novo e são essencialmente uma forma de convívio entre os membros da comunidade. Os cantares tradicionais populares são entoados em grupo, de porta em porta, desejando um bom ano a todos os presentes. Os visitados são normalmente receptivos aceitando os votos e mantendo a tradição de oferecer algo, geralmente de comer e de beber, aos “janeireiros” e “reiseiros”.

    (3) Pra – para (redução da preposição “para”, sua forma sincopada,usadano registo popular, informal).

    (4) Semana Santasemana  imediatamente anterior ao domingo de Páscoa durante a qual comemoram-se as etapas da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo.

    (5) ‘Tava – estava (pronúncia popular do verbo “estar” conjugado, uso coloquial).

    (6) Na’ – não (houve supressão da acentuação e do o para reproduzir pronúncia popular, uso coloquial).

    (7) Prà – para a (contração da preposição pra com o artigo ou pronome a; uso popular e coloquial).

    (8) Monda ? acto ligado à agricultura que consiste em arrancar ervas nocivas da seara.

    (9) Atão – então (regionalismo de Portugal, de uso informal e coloquial).

    (10) Assunção – refere-se ao dia 15 de Agosto, em que a Igreja Católica comemora a subida de Maria ao Céu.

    (11) Anis – licor de anis (feito de uma erva aromatizante com aplicações em farmácia e também na culinária; também conhecida como erva-doce).

     

    Referências bibliográficas e recursos online utilizados no glossário: http://aulete.uol.com.br; http://michaelis.uol.com.br; http://www.ciberduvidas.com; http://www.infopedia.pt; http://www.priberam.pt

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
  • Romance Religioso, com fecho de Oração: Ciclo da Paixão, versão compósita: A Virgem a Caminho do Calvário, Verónica…

     

    Classificação: Isabel Cardigos (CEAO/Universidade do Algarve) em Setembro de 2011

    Fonte da classificação: Informação pessoal de Maria Aliete Galhoz.

     

Identificação
  • Os dias de Páscoa
  • Ilda Martins
  • 1939
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Junta de Freguesia da Salvada através da Biblioteca Municipal de Beja (contacto Cristina Taquelim).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Beja.
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Contadores de histórias que participam em iniciativas do Município de Beja. São convidados na iniciativa Palavras Andarilhas. Vão a escolas, lares e bibliotecas.

Equipa responsável
  • Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Filomena Sousa


 

Visite a nova exposição virtual!

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA