Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Anda cá saloia

nome:
Adélia Augusta e Maria Falcão
ano nascimento:
1933 e 1935  (respectivamente)
freguesia: Caçarelhos
concelho:
Vimioso
distrito:
Bragança
data de recolha: Outubro 2010
 
 
 

Dados de inventário
  • Anda cá saloia
  • Vimioso

    "Anda cá saloia" - Excerto de uma cantiga integrante de uma peça de teatro popular. Sobre uma vendedora de ovos e o amor que desperta em alguém.

     

    Grupo de Vimioso - Adélia Augusta e Maria Falcão

    ano de nascimento 1933 e 1938 (respectivamente). Caçarelhos.

    Registo 2010.

Transcrição
  • Anda cá saloia

    [Cantam:]

     

    Subi àquela janela

    por ver a quem via.

    Vi uma saloia

    com uma cesta de ovos

    e a galinha em cima.

    [Bis:] Vi uma saloia

    com uma cesta de ovos,

    a galinha em cima.

     

    - Ó mulher dos ovos!

    Quanto quer por eis(1)?

    - Quero três testões(2).

    Quero três testões,

    que é o preço deis(3)!

    [Bis:] Quero três testões.

    Quero três testões,

    que é o preço d’ eis!

     

    - Ó mulher dos ovos!

    Suba cá pra cima.

    Ao subir a escada,

    ao virar da esquina,

    tocaram-se(4) os ovos,

    fugiu a galinha!

    [Bis:] Ao subir a escada,

    ao virar da esquina,

    tocaram-se os ovos,

    fugiu a galinha!

     

    Fugiu a galinha!

    Fugiu prò(5) poleiro.

    Anda cá saloia,

    anda cá saloia,

    meu amor primeiro!

    [Bis:] Anda cá saloia,

    anda cá saloia,

    meu amor primeiro!

     

    Adélia Augusta Pires Garcia e Maria Falcão, Caçarelhos (Vimioso),Outubro de 2010

     

    Glossário:

    (1) Eis – eles.

    (2) Testões – tostões (plural de tostão antiga moeda portuguesa equivalente a 100 réis ou de 10 centavos).

    (3) Deis – deles (de acordo com o significado de “eis” – eles).

    (4) Tocaram-se – fenderam-se, “magoaram-se, “feriram-se”.

    (5) Prò – “para o” (contração da preposição pra com o artigo ou pronome o; uso popular e coloquial).

     

    Referências bibliográficas e recursos online utilizados no glossário:

    Barros, Vítor Fernandes, (2006). Dicionário do Falar de Trás-os-Montes e Alto Douro. Lisboa: Edição Âncora Editora e Edições Colibri, p. 282.

    Nunes, José Joaquim. (1902). Dialectos Algarvios (Lingoagem do várlavento) (Conclusão). (1902). Revista Lusitana: Arquivo de Estudos Filológicos e Etnológicos Relativos a Portugal, (1ª Série), Volume VII, Lisboa: Antiga Casa Bertrand.  pp. 250

    Vasconcelos, José Leite de/Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. Dicionário de Regionalismos e Arcaísmos (DRA). Em linha, URL/PDF, p.720

    http://alfclul.clul.ul.pt/clulsite/DRA/resources/DRA.pdf;http://aulete.uol.com.br;

    http://michaelis.uol.com.br; http://www.ciberduvidas.com; http://www.infopedia.pt;

    http://www.priberam.pt

     

     

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
    • Fragmento de Teatro popular.
Identificação
  • Anda cá saloia
  • Grupo de Vimioso
  • Ver resumo
  • Trabalhadoras agrícolas reformadas.
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Caçarelhos, Vimioso, casa de Francisco Augusto
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Vimioso
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Residentes do concelho de Vimioso que são convidados para iniciativas do Município e Biblioteca de Vimioso.

Equipa responsável
  • José Barbieri e Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
  • José Barbieri - realização do documentário (ver link em documentação)