Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Ai como a noite é bela

nome:
Adélia Augusta, Maria Falcão e Maria Lopes
ano nascimento:
1933, 1935 e 1938 (respectivamente)
freguesia: Caçarelhos
concelho:
Vimioso
distrito:
Bragança
data de recolha: Outubro 2010
 
 
 

Dados de inventário
  • Ai como a noite é bela
  • Vimioso

    "Ai como a noite é bela" - Cantiga, serenata.

    Grupo de Vimioso - Adélia Augusta, Maria Falcão e Maria Lopes.

    ano de nascimento 1933, 1935 e 1938 (respectivamente). Caçarelhos.

    Registo 2010.

Transcrição
  • Ai, como a noite é bela (serenata)

     

    «Ai como a noite é bela,

    ai como é bom amar,

    dentro de uma janela,

    cantando ao luar.

     

    Menina vem à janela,

    vem ouvir a serenata.

    Deixa lá teu aposento,

    que é belo momento,

    a noite é de prata.

     

    Ai como a noite é bela,

    ai como é bom amar,

    dentro de uma janela,

    cantando ao luar.

     

    Menina vem à janela,

    vem ouvir a serigaita.

    Olha, vem ver o Panarra(?),

    como se agarra

    a tocar na gaita.

     

    (…)

     

    …Da minha vida

    Passo um tormento sem fim!

    Minh’ alma está perdida

    e a vida é mesmo assim.

     

    Meu amor vem à janela,

    vem oubir(1) a serenata.

    Deixa lá teu aposento,

    que é belo o momento,

    que a noite é de prata.

     

    Mas como a noite é bela,

    como brilha o luar,

    dentro de uma janela,

    ai, como é bom amar.

     

    Meu amor vem à janela,

    vem oubir o acordeon(2),

    Deixa, vem ver o luar.

    Ouvir soluçar

    o meu coração.

     

    Mas como a noite é bela,

    passo um tormento sem fim.

    Minh’ alma está perdida

    e a vida é mesmo assim.

     

    Meu amor vem à janela,

    vem ouvir  a serenata.

    Deixa lá o teu aposento,

    que é belo o momento,

    que a noite é de prata.

     

    Adélia Augusta, Maria Falcão, Maria Lopes, Francisco Augusto,

    Caçarelhos (Vimioso),Outubro de 2010

     

    Glossário:

     

    (1) Oubir – ouvir (trocar o “b” pelo “v” é um traço fonético comum nos dialectos do Norte do Portugal).

    (2) Acordeon – acordeão (do francês accordéon), «instrumento composto de palhetas metálicas que entram em vibração por meio de um fole. (É também conhecido por harmónica.)». http://www.priberam.pt

    Referências bibliográficas e recursos online utilizados no glossário:http://www.ciberduvidas.com; http://www.clul.ul.pt/equipa/mcruz/segura.pdf; http://www.priberam.pt;http://www.infopedia.pt;http://michaelis.uol.com.br;

    http://www.priberam.pt

     

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
Identificação
  • Ai como a noite é bela
  • Grupo de Vimioso
  • Ver resumo
  • Trabalhadoras agrícolas reformadas.
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Caçarelhos, Vimioso, casa de Francisco Augusto
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Vimioso
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Residentes do concelho de Vimioso que são convidados para iniciativas do Município e Biblioteca de Vimioso. Principais actividades desenvolvidas e que enquadram estas manifestações culturais:

    Sons e Ruralidades em Vimioso

    ANAMNESIS - Encontro de Cinema, som e tradição oral.

    Feira de artes, ofício e sabores

    (ver links em documentação)

Equipa responsável
  • José Barbieri e Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
  • José Barbieri - realização do documentário (ver link em documentação)